16.2.14

como foi o meu Valentim?

 
 
 
 
 
 
 






Foi tudo em modo fast-forward.
Deixar o M. na creche, ter à entrada uma mensagem tão bonita sobre o amor e uma banquinha de bolinhos e mini-chefes apaixonados; correr para apanhar o comboio, abrir a mala e ver um sapatinho perdido do meu Principezinho; chegar a Lisboa e rir sozinha com a ementa super romântica e suave do Restaurante na Estação; oferecer um presente a uma amiga, porque sim; andar a fazer de cupido, distribuindo amor encadernado e tendo rendez-vous com desconhecidos; voltar a Cascais, correr a ir buscar o M., receber um cartão cheio de corações e suspiros coloridos.
 
No 14.02.2014 o meu mote é: namorem muito, mas riam-se mais.
 
E agora, um bocadinho de poesia, que também fica bem nestas datas...
 
 
Amar é a eterna inocência,
E a única inocência é não pensar...
 
(Alberto Caeiro, O Guardador de Rebanhos)


1 comentário:

Anónimo disse...

Eu acho que esses assuntos são coisas muito sérias.