28.1.13

It takes 2!


Em 2013 a Lifestories acompanha o aumento do IVA, o Imposto sobre o Valor do Amor, com o lançamento dos novos cadernos “It takes 2”. São dois cadernos, mas que batem a um só ritmo, para se partilharem entre namorados, primos e casados.

A 14 de Fevereiro celebramos o amor, seja ele sólido, fugaz, tímido ou fogoso, e recriamos a história do bispo Valentim que, apesar da ordem do Imperador romano de proibir casamentos durante o tempo de guerra por achar que os homens solteiros serviam de melhor combatentes, continuou a celebrar, secretamente, casamentos entre apaixonados.

São dois cadernos, um para cada um, pois no amor it takes two.Presos por um elástico, que os cola no início, separa e junta novamente no final.

A primeira fotografia, as recordações do primeiro encontro, os bilhetinhos, recados e pedaços de papel, a cor de um e os desejos de outro, o que o fez reparar no outro e o que faz para surpreender o outro, as duas mãos juntas, o que um nunca disse ao outro e o “era uma vez” dos dois.
E depois das 50 páginas, os dois cadernos reencontram-se, deixando espreitar o coração de cada apaixonado pelo buraco da fechadura.

Os cadernos vendem-se em conjuntos de dois, têm uma edição limitada e numerada de 100 exemplares e contêm perguntas/ pistas que desafiam a imaginação e a criatividade de cada um.

E foram felizes para sempre... ou não.
O que importa é, por agora, dar asas à paixão!

O que precisa de saber para encomendar:
11,90€ (conjunto de 2 cadernos) + portes de envio
Encomendas até 6 de Fevereiro para: eraumavez@lifestories.pt

27.1.13

Shopping!

É verdade que ando mais desaparecida desde meu cantinho.
Pois é, é que já entrei oficialmente no 8º mês!
E por isso, a minha vida ultimamente tem andado mais centrada no tema da puericultura, tipo Feira do Bebé do Continente, fraldas tamanho 1, soro fisiológico, aero-om, etc... 
Eu já várias vezes disse às minha amigas, e super consultoras, que por mim embrulhava o M. numa capulana e ele seria um bebé feliz, mas elas encolhem os ombros e dão-mes listas do "merchandising oficial do recém-nascido".
E com este último lote ACABEI! 
Pronto. 
A minha única extravagância? A criança só não vai comer Mustela porque eles ainda não o dissolveram em pó. De resto vai ser todo ele besuntadinho naqueles cremes maravilhosos, com um cheirinho que apetece comer o frasco. Sim, sim, são caros e tal. Quero lá saber! Como disse, é a minha extravagância, tendo em conta que todo o hardware da criança é emprestado e não gastei um tostão (berço, cama, alcofa, carrinho, banheira, etc..). Quanto à roupa, fiz aquela incursão nos saldos e de resto tenho a minha Mãe, sogra e amigas da minha Mãe a fornecer e a produzir enxoval em série: lençóis de cama, berço e alcofa, resguardos, turcos, mantas, xailes, casaquinhos, macaquinhos, etc...
   
Estes dias estivemos a pintar o quarto do Baby e durante a semana terminamos com a decoração (prometo partilhar fotos!). A mala da maternidade está quase, quase preenchida (mais uma lista das minhas amigas, eu ainda perguntei se bastava levar umas havaianas e mais outra capulana, mas elas já nem me ouvem) e por isso está quase tudo a postos!

Mas, como também sou feita de 35 anos de vida sem filhos, nem bebés, achei por bem, no fim desta explosão de tralha de coisas para o M., fazer juz à mulher que ainda vive dentro de mim. Certo que ela vive com uma melancia atada à barriga e tem uns pés que parecem os do Shrek, mas ainda gosta de uns trapos. 
E vai daí, fui à Lefties, uma espécie de outlet da Zara e trouxe esta maluqueira toda por 40€. Ahhh... soube-me tão bem!
No fim de tudo, o balanço da futilidade é positivo, o M. está feliz cá dentro e nós estamos ansiosos por conhecê-lo!

23.1.13

sessão "GA" parte 1

Sessão "Grávidas Anónimas":

- Olá, eu sou a Rita e estou a caminho das 32 semanas!
- Olááá Rita.
- Sinto que parte da minha massa encefálica foi sugada por um cano, juntamente com 3 frascos de Forza, aquele gel para desentupir canos e corroer tudo o que dificulte a circulação de neurónios ou meninges pensadoras. Acho que tenho uma couve-flor no lugar do meu cérebro, é estranho. Nunca fui assim, sempre fui muito organizada. Tenho-me esquecido de tudo, mesmo o que quero escrever para não me esquecer eu esqueço. É esquisito... E vocês?
- Olááá Rute.
- ...

20.1.13

diários de moçambique** #6

 
 
Diário de Moçambique. Volume 2. "as raízes do princípio".
 
 
16 de Março de 2011 (4ªfeira)
 
O Ibo foi engolido pela chuva!
Há 3 dias que praticamente mal vemos o céu, chove durante a noite e pela manhã, à tarde conseguimos sair de casa e ir ao pão ou dar um passeio.
Hoje parece ser a manhã mais cerrada. Chove muito e não há uma tonalidade mais clara no céu, está todo da mesma cor, de um cinzento líquido.
Às vezes dá para entender uma abertura, uma andorinha ou outra espreitam pela claridade, mas agora, nesta manhã, nada.
São 8:15 e cai uma quantidade de água tão grande que o barulho é ensurdecedor.
Eu, não sei porquê, gosto disto. Sempre gostei deste lado interior da chuva. A chuva tem de facto qualquer coisa de sentimento que o sol tem menos.
Gosto deste chorar da natureza, faz-me aliviar a dor de dentro. E aqui é tão forte e tão espessa que se torna viciante.
Quase que fico com pena quando sinto que vai parar... Agora, talvez pela força das palavras, cai com mais força. Mais drama, mais sentimento.
Afunda-se a água toda na terra, o nosso jardim começa a criar poças, lagos de chuva, até os bichos e os pássaros se escondem.
Há uma cortina branca no horizonte, tal é a espessura da chuva.
Ah! um momento de claridade, de céu cinzento mais amarelado. O enfraquecer do barulho. Mas, não. Voltou o cinzento, o outro mais escuro e ela aumenta o volume do seu choro.
E tudo muito suave, muito ordeiro, sem trovoada, relâmpagos ou vento. Uma cortina de chuva muda, genuína, inteira.
Novamente o abrandar, é assim o jogo dela, indo, vindo, aumentando e diminuindo. Do lado direito é só cinzento, do lado esquerdo um amarelo que teima em vingar.
Parece que é do lado direito que ela vem. Que brutalidade de água. Que água tão preciosa para esta terra.
Deus queira que também chova no Continente... ah. Parece que já a ouço. A trovoada? Será? É um ronco constante ou será só mesmo a minha impressão da força da água, do barulho das gotas a cair no chão.
Serenou para agora dar lugar aos restos de água que vão pingando de tudo o que ela molhou.
Primeiro ouvem-se sempre os pássaros, agora vozes na rua. Um galo. E o jogo naquele tabuleiro, com o barulho do copo a jogar os dados.
Agora são só gotas.
Tudo aquilo foi um delírio.
Há mais cinzento escuro do lado direito e o amarelo continua lá.
A ver agora.
Aguardo por algo mais.
 
 
 
 
**excertos do meu Diário Pessoal escrito durante a minha estadia em Moçambique, entre Julho de 2010 e Agosto de 2011


14.1.13

a cena da outra...

Eu não vou escrever nada de novo acerca da outra miúda que deseja uma mala Chanel em 2013.
Ela que deseje melhorar da rinite alérgica ou dos fungos das unhas dos pés. Estou-me literalmente nas tintas.
Eu já AQUI falei acerca da minha opinião sobre esses Blogs que pululam como abelhas em época do cio, e saltou-me logo uma vespinha a dizer que fútil era eu, que ela também tem o seu Blog, por sinal cheio de visitantes, e até estuda medicina e mimimimimi...
 
Olá Rita,
Escrevo-lhe porque vi o seu comentário no blog da Bimba Without the Lola.
Queria dizer-lhe o seguinte: a Rita é tão triste quanto todas essas bloggers que refere como "figuras deprimentes" quando generaliza dessa maneira. Sim, há muitos blogs de moda péssimos, com um português horrível e fotografias tiradas contra a cómoda da avó. Mas há também muitos blogs de pessoas que escrevem bem, têm cuidado com a qualidade fotográfica e têm até bastante criatividade. Se quiser que lhe indique alguns para ver se muda de ideias estou ao seu dispôr.
E quanto à sua dúvida existencial acerca do que fazemos da vida... posso dizer-lhe que eu, além de escrever o blog Miss Tangerine, estou no segundo ano da Faculdade de Medicina, moro em Lisboa com uma família normalíssima e hoje em dia financio a maior parte da minha roupa pelo blog, já que muitas marcas me propõem revisões das suas peças.
Espero que pelo menos considere adquirir outra percepção acerca de quem tem blogs de moda. Porque, acredite ou não, há quem os escreva porque gosta do tema, tal como a Rita escreve este sobre a sua vida porque o tema lhe é querido.
 
Se espremermos laranjas temos sumo de laranja, certo?
Se escrevermos sobre roupa e sapatos, cabelos e maquilhagem, malas e acessórios temos material efémero, fútil e que no fundo adensa o paradigma do "ter-ser" a 120% certo?
Se escrevermos sobre o pensamento estruturante, os suportes à circulação de ideias, a relativização e a contextualização temos material enfadonho, filosófico e chato, certo?
 
Guess what?
 
Há pessoas para tudo neste mundo, para aulas de Filosofia chatas e amorfas e para Blogs de sapatos e malas superficiais.
O que me encanita a mente é por que ficam logo as pessoas tão ofendidas por ser fúteis? Os intelectuais não se ofendem com o que lhes chamam.
Estas meninas são fúteis, não compreendem que a razão que as leva a escrever é inversamente proporcional ao que nos faz ser e ter conhecimento de nós próprios e da vida, e por isso ficam logo muito sensíveis e incomodadas.
Mas elas têm o seu público, legítimo e fiel, como o Tony Carreira e o Frank Sinatra.
Estou fartinha destes moralismos, dos que defendem a Pepa e dos que acusam a Pepa de ser uma desmiolada e acham que ela devia era desejar a paz no mundo, tipo Miss Universo.
Ela se quiser ter 20 malas Chanel que as tenha, qual é o mal da rapariga querer uma mala?! Vai roubar um banco, assaltar uma velhinha na rua? Vai enganar umas amigas e criar um sistema de pirâmide criminoso? Vai passar cheques carecas?
Não.
Ela tem um Blog de moda, ela é fútil, ela tem 20 e tal anos, ela não pode querer outra coisa que não seja uma mala.
Eu também quis uma Longchamp em pele pelos meus 35 e consegui tê-la. Isso faz de mim uma fútil, então que seja.

A miuda só se chama Filipa, quer uma mala e por acaso vive em Cascais, se morasse na Arremtela e se fosse Vanessa já lhe achariam tanta graça não era?

Pois era.

Deixem-se  é de moralismos e de falsas crenças de que somos é todos muito altruístas e estamos todos aqui para ajudar o próximo e zelar pelo bem comum.
Somos o animal mais egoísta do Planeta, não queremos saber de ninguém sem ser de nós próprios e os portugueses ainda juntam a isso ser o povo mais invejoso que a Arca de Noé fez desembarcar na terra.
E pronto.


13.1.13

E ainda...

(- as cadelas todas da rua resolveram ter o cio ao mesmo tempo, tenho por isso em casa um cão insuportável, deprimido e confuso.)

sopa na panela de pressão...

O calendário Maya, o tal que dizia que lá viria o fim do mundo, teve uma versão caseira nestes últimos dias do ano e princípio de 2013, ora atentem:
 
- a corda o estendal partiu-se e desta vez o arranjo já não me parece tão fácil (acreditem que para quem apenas depende do sol para secar a roupa, não ter corda de estendal é um pincel, sim, tenho daqueles estendais interiores mas a roupa fica toda a cheirar a mofo, como se estivesse dentro de uma toalha turca húmida, blergh!) ;
- a Bimby avariou-se (diz-me "Erro 59", podemos estar aqui a considerar sinais alienígenas tipo "Área 59", tipo eles estão a chegar, o que de lá vem?);
- o carro avariou-se (se bem que já está arranjado, era a bomba de injecção de uma vela, teve de ser substituida, uma coisa portanto que faz avariar carros)
- o meu computador avariou e teve o seu esgotamento de final de ano e está há quase 15 dias de baixa, tudo nele era negro e profundo, antes com mensagens estranhas, fundos azuis e imagens distorcidas. Ando a trabalhar num mini PC, muito jeitosinho, mas preciso urgentemente do meu.
 
 
E por aí, tudo calmo? Quem tem Bimby, também anda a receber mensagens em código?
Amanhã tenho é de ir buscar a panela de pressão para fazer sopa.
Raios!


11.1.13




Após eu quase ter chorado de joelhos a pedir por tudo para me levar com ela, acabou por ceder ao meu pedido, talvez dado ao meu estado de gravidez e sensibilidade arredondada em que me encontro.
E assim, fui ontem assistir à prova do vestido de noiva da S., que vai casar em Fevereiro.
Estava a Mãe, uma madrinha, a noiva e eu. O emplastro em gestação de 30 semanas, que se babava para cima de tudo o lhe passava pelos olhos.
 
É que se há coisa que eu ADORO é noivas e tudo o que gravita em redor deste universo: vestidos, véus, saiotes, sapatos, acessórios, cabelo, maquilhagem, ... 
Até há um programa, no canal TLC, "Say yes to the dress" que é de qualidade abaixo de mediano, mas eu papo aquilo tudo. Adoro!
 
Agora que o meu mundo se centra em aulas de preparação para parto, lençóis para berço e cama de grades, bodies e baby grows, fraldas de pano, papel de parede e tecidos para quarto, insónias e azia, pernas inchadas e hormonas aos saltos, poder ter mergulhado neste universo foi um banho de glamour e feminilidade que há muito sentia falta.
A S. estava linda, a Mãe feliz, a madrinha a condizer, tudo ficou perfeito quando ela colocou o véu e tivemos o nosso momento da lágrima reprimida, entre mulheres.
Foi maravilhoso!
 
Reparei que o M. mexeu-se imenso, dando o sinal à quantidade de mulherio junto naquela cena de galinhagem pura.
E para finalizar, ainda atravessei a Avenida e fiz um saldo na Mango, o primeiro do ano para mim, a 9,99€.
Foi mesmo um final de dia bem passado!
Obrigada noiva, estavas lindíssima e vais ser A noiva 2013 : )


9.1.13

os cantos da casa





 
Ele raramente mostra o que faz, diz-se autor de qualquer coisa ou pretende revelar o talento que tem, que lhe é natural e espontâneo.
Por isso, quando no outro dia o meu marido tirou estas fotos da nossa sala e me disse: "podias pôr isto no teu Blog e dizer que são os cantinhos da nossa casa..."
E eu: "Como?!"
Não esperei nem um dia, aqui estão os cantinhos da nossa casa.
 
Todos eles construídos pelos dois (mas o cérebro é o dele) com amor e peças especiais:
- o "A" que eu ofereci quando fez a sua primeira maratona.
- os livros de pássaros do meu Avô.
- a foto dos dois no topo do Empire State Building em Nova Iorque e dos três na Zambujeira do Mar.
- o espelho da minha Avó e um móvel velhinho que era do Hotel Aviz.
- um quadro a óleo de um cão que compramos na nossa primeira viagem a Londres.
 
A nossa casa espelha totalmente o que somos, como somos; não é preciso gastar muito dinheiro, nem ter coisas que estão na moda.
Basta ter gosto e prazer naquilo que pomos em nosso redor.
 
 


6.1.13

Dia de Reis



 
 
Que é como quem diz, finito!
Dia de arrumar o presépio, deitar para o lixo a rama de abeto nórdico que efectivamente durou até hoje (garantia da florista da Praça da Ribeira), arrumar as restantes decorações, fechar o tema do Natal e começar o ano de uma vez por todas.
Os dias por Lisboa têm estado de céu limpo e arejado, com tardes de tons laranja e rosado. Uma brisa fria arrefece as ruas, mas ainda no outro dia captei este belo final de tarde ao fundo da Rua Garrett.
Os meus dias também andam mais adensados com trabalho, o que é bom sinal, a minha forma cilíndrica é que não tem ajudado à desenvoltura das tarefas. Ando mais lenta, mais cansada, mais redonda!
O M. começou o ano literalmente com os pés, pois já deu a volta e já se encontra apontado ao eixo de saída... Tudo normal, não fossem os pontapés e as cotoveladas que me dá a meio da noite, acrescentando às minhas dores na sacro-ilíaca (é verdade, temos uma articulação com este nome).
Agora vou ali deitar a rama para o lixo.
Façam o mesmo e não deixem as vossas árvores de natal de plástico do AKI a medrar até à Páscoa, está bem?
 
 




2.1.13

quem te avisa...


 
"Depois tu vais ver, Rita. Passas nas lojas e só vês coisas para a tua criança, nem pensas em ti, só pensas nele... E mesmo nos saldos, nem entras na Zara; qual quê!?
Queres é ir ver coisinhas para ele, só pensas nele."
 
(Estas minhas amigas são é todas doidas, mas alguma vez chegam os saldos e eu nem entro na Zara, nem mexo nas coisas para mim, vou directa às secções de bebé/ criança?!?! Elas estão todas desiquilibradas, só vêem os filhos à frente, coitadas...)
 
GLUP!
 
...engole o sapo Rita, engole mesmo!
 

1.1.13

...e 2013?

Muito sinceramente, não tenho 12 passas para este ano.
Podia pôr-me aqui a pensar em mais 12, mas era uma exercício forçado e nada de acordo com o que sinto neste início de ano.
Não quero mesmo pedir nada.
Vou ser Mãe pela primeira vez, só quero mesmo que o crianço venho perfeito cá para fora, que eu não fique feita num 57, que tudo corra bem e o bicho cresça forte e saudável.
É simples, mas é tudo o que se pode pedir.
Em relação ao resto, eu trato do assunto! : )
BOM 2013 e OBRIGADA por continuarem a visitar o meu estaminé!