27.1.13

Shopping!

É verdade que ando mais desaparecida desde meu cantinho.
Pois é, é que já entrei oficialmente no 8º mês!
E por isso, a minha vida ultimamente tem andado mais centrada no tema da puericultura, tipo Feira do Bebé do Continente, fraldas tamanho 1, soro fisiológico, aero-om, etc... 
Eu já várias vezes disse às minha amigas, e super consultoras, que por mim embrulhava o M. numa capulana e ele seria um bebé feliz, mas elas encolhem os ombros e dão-mes listas do "merchandising oficial do recém-nascido".
E com este último lote ACABEI! 
Pronto. 
A minha única extravagância? A criança só não vai comer Mustela porque eles ainda não o dissolveram em pó. De resto vai ser todo ele besuntadinho naqueles cremes maravilhosos, com um cheirinho que apetece comer o frasco. Sim, sim, são caros e tal. Quero lá saber! Como disse, é a minha extravagância, tendo em conta que todo o hardware da criança é emprestado e não gastei um tostão (berço, cama, alcofa, carrinho, banheira, etc..). Quanto à roupa, fiz aquela incursão nos saldos e de resto tenho a minha Mãe, sogra e amigas da minha Mãe a fornecer e a produzir enxoval em série: lençóis de cama, berço e alcofa, resguardos, turcos, mantas, xailes, casaquinhos, macaquinhos, etc...
   
Estes dias estivemos a pintar o quarto do Baby e durante a semana terminamos com a decoração (prometo partilhar fotos!). A mala da maternidade está quase, quase preenchida (mais uma lista das minhas amigas, eu ainda perguntei se bastava levar umas havaianas e mais outra capulana, mas elas já nem me ouvem) e por isso está quase tudo a postos!

Mas, como também sou feita de 35 anos de vida sem filhos, nem bebés, achei por bem, no fim desta explosão de tralha de coisas para o M., fazer juz à mulher que ainda vive dentro de mim. Certo que ela vive com uma melancia atada à barriga e tem uns pés que parecem os do Shrek, mas ainda gosta de uns trapos. 
E vai daí, fui à Lefties, uma espécie de outlet da Zara e trouxe esta maluqueira toda por 40€. Ahhh... soube-me tão bem!
No fim de tudo, o balanço da futilidade é positivo, o M. está feliz cá dentro e nós estamos ansiosos por conhecê-lo!