25.3.14

I love you

 
Estou sempre a pensar no meu filho.
Tenho vindo a perceber que isto de ser Mãe é uma espécie de primeiro amor nas férias de Verão aos 16 anos, mas é para toda a vida e começa aos 36.
Sou tão apaixonada por ele que imagino-me a dar-lhe beijinhos no pescoço e a sentir-lhe o cheiro, que já é dele.
Sofro de todo o tipo de ansiedade, desde a separação por uns dias, à ideia de o ver a andar, desde os amigos que o vão pôr a chorar no recreio porque não lhe dão a bola aos amores não correspondidos, desde os espalhanços que vai dar de bicicleta e de mota, à ideia de o imaginar a tirar a carta de condução, desde as nossas conversas sobre viagens, destinos e mundos diferentes aos livros que vamos ler juntos, desde  a vida que não lhe vai dar tudo o que ele quer, aos tropeções, caminhos pouco nítidos e dúvidas, desde a nossa primeira dança ao nosso primeiro abraço de uma primeira despedida...
É um amor brutal, explode-me por todo o lado e deixa-me a suspirar como uma adolescente!

1 comentário:

macaca grava-por-cima disse...

o "I told you so" aplica-se aqui?

É mesmo do outro mundo... e há fases agudas em que não conseguimos mesmo desgrudar, nem em pensamento!