2.11.13

5 anos


 
Todos os anos celebrei devidamente os anos do meu cão. Pelo menos, por aqui, sempre lhe dediquei umas palavras. E este ano, sem dúvida, não seria excepção.
Esta imagem do Flash na praia do Guincho, com uma bola de ténis e todo o universo a seus pés (neste caso, patas), é como eu desejo que um dia seja o seu "céu".
No céu dos cães há bolas com fartura, praias infinitas e ondas para serem nadadas com a energia própria deste cão.
Mas ainda lhe faltam uns anos para isso, espero eu - por isso vou-lhe dando bocadinhos de céu que ele vai gozando e vivendo com a intensidade e entrega que o caracterizam.
 
Hoje o Flash faz 5 anos!
E parecendo pouco, o que nestes últimos anos já se passou foi tanto.
Já viveu em quatro casas, com três famílias diferentes, já viu chegar um novo elemento à família para depois ver outro a ir-se embora.
Cão é cão, mas às vezes olho para ele e pergunto-me: onde está a consistência para este cão? e se isso o pode afectar, traumatizá-lo.
 
A consistência está no afecto que recebe e nunca com quem vive, onde vive e as experiências que vive. Cão é cão, e por isso vive o presente. Não é melancólico, não fica preso no passado, não se pergunta porquê. O Flash não se questiona.
E é isso que nos distingue dos cães. De resto, é um bicho cheio de alma, só que mudo. Fala à maneira dele, com os olhos, com as orelhas, com as pestanas.
 
Não digo que tem sido fácil estar sozinha com ele e com o M., porque as suas necessidades básicas (ir à rua) exigem rotinas que nem sempre se conjugam com um bebé de 7 meses. Mas com a ajuda dos meus Pais, tenho conseguido lidar com os "meus dois filhos", como costumo dizer na brincadeira.
 
E lá vou lidando com uma casa, um bebé e um cão. Somos pelo menos uma família divertida, quando estamos os três há sempre alguma animação. No outro dia, o iogurte do M. foi quase inteiro parar ao meio do chão - nada que o Flash não limpe em 2 minutos, qual Vileda.
Fazemos passeios a três, o Flash a correr como um desalmado no Jardim e o M. a rir-se no carrinho, e eu lá vou gerindo os "estragos" de um e as "gracinhas" de outro.
 
Amigo, logo não te dou iogurte.
Logo, dou-te um frango assado sem molho, desfiado.
O teu presente mais desejado, o quinto frango da tua vida!
Parabéns amigo!
 

1 comentário:

Anónimo disse...

É mesmo amigo.