28.5.14

visita-te





 
Certo dia, véspera da Primavera, resolvi dar uma "fuga" de Lisboa.
Por três noites.
O objectivo era escrever e terminar os meus contos infantis - que entretanto acabei por não estar legível para participar no Concurso, pois já tenho contos publicados.
E agora, por estar a escrever este texto, sinto-me culpada por ter "dado à luz" personagens tão giros que ficaram literalmente fechados numa tabela de "ficha de personagens": uma tartaruga que está sempre a fazer xixi, um tubarão cheio de sono, um elefante jardineiro, os meninos que fazem pão, o caranguejo que está sempre mal disposto, um atum com a mania das doenças... Já tinham tiques e maneiras de falar, e a história estava mesmo a começar. E eu, irritada, frustrada e parva, meti-os na gaveta.
Bom, mas o objectivo deste post não era falar dos meus personagens infantis e imaginários.
Era para recordar a minha fuga, que agora, uns meses depois, preparo-me para outra, mas além fronteiras!
Nesse dia almocei com os meus Pais e fiz-me à estrada. Antes de chegar ao destino final quis revisitar o Palácio de Mafra. E que maravilhosa surpresa!
Devo lá ter ido em 1989, p'rai, e agora pareceu-me tudo muito diferente.
Logo na bilheteira a senhora alerta-me para o facto de isto de se visitar o Convento à "vontade do freguês", é uma novidade. Ou seja, antes só se podia entrar com visitas guiadas - nada de iniciativa privada. Mas eu, qual sortuda, já o podia fazer e por uns 4€ o colosso das 4.500 janelas e portas era todo meu.
Cruzei-me com centenas de estudantes em visitas de estudo, e lá andei eu a "brincar" aos reis e às rainhas, mas com um objectivo: visitar a biblioteca.
E quando lá cheguei, e fiquei especada a olhar para aquilo, repeti dentro de mim: "o silêncio dos livros".
É belíssimo.
E acho que devemos visitar aos 12 e depois aos 36,  e por aí fora - para confirmar que efectivamente nós mudamos, enquanto as coisas permanecem desde 1700.
Acabada a visita meti-me no carro e fui para junto do mar.
É verdade.
Tive a sorte de conseguir um preço obscenamente baixo (conheço a Directora de Vendas, vá), um quarto em frente ao mar e uma cama king size!
Foram três noites de vidinha minha, só eu comigo.
Porque também convém "visitar-nos" de vez em quando, perceber como estamos diferentes ou quanto queremos mudar.


Sem comentários: