11.6.14

Laurentina

 
Eu gosto de osgas, é verdade.
Tenho fobia/ medo de gafanhotos, mas osgas é comigo.
Vá-se lá perceber como.
No jardim dos meus Pais, todos os verões, apareciam duas osgas que baptizamos de "Tristão e Isolda" - era a perfeita história de um amor de verão, em que ao final do dia cada uma corria o muro do jardim para se esconder na sua floreira.
Depois, em Moçambique, aprendi a gostar ainda mais delas: como um dum-dum natural, sem cheiros, nem prejuízos para a camada do ozono. Tinha-as já distintas por divisão da casa, e ainda uma que vivia no duche, sem nunca ter deixado algum dia que eu deixasse de tomar banho!
Acho-as cómicas e atrevidas, e depois de ter lido o "Vendedor de Passados" do Agualusa, tenho a certeza que são personagens cheios carácter.
Por estes dias, apareceu aqui em casa, em Cascais, uma osga! 
Vive no topo das escadas e à noite põe-se junto à luz, qual caçadora paciente.
Chama-se Laurentina e tens primos em África.

1 comentário:

macaca grava-por-cima disse...

tb tenho uma de estimação lá em casa... come os bichinhos todos, é um regalo.

E sim, depois de leres o vendedor de passados passas a olhar este bichinho com outros olhos.

A minha empregada (cabo-verdiana) morre de medo de osgas... TERROR mesmo ;-)