26.3.12

miscellaneous

Gosto, de vez em quando, da miscelânea.
Tenho tido várias ideias para escrever, vários assuntos, vários acontecimentos e na tentativa de os arrumar (sempre o meu lado "arrumadinho") resolvi que seria mais divertido misturar isto tudo.
Ora aqui vai:
Acho que nunca apareci na televisão. Deve haver por aí milhares de pessoas como eu. É normal. O que não é normal é que a única vez que isso me acontece é quando eu estou no Estádio José Arcanjo, em Olhão, numa 6ªfeira à noite, a assobiar ao árbitro com os dedos enfiados na boca. Segundos depois os nossos telemóveis não paravam de tocar, o meu e o do meu marido. Ele estava composto, eu uma selvagem. Até nem me desgracei em acepipes, só num Magnum amêndoas. Mas na 2ªparte vieram aqueles senhores com os tabuleirinhos recheados de chocolates e nougats. Anda uma pessoa a correr 8 km e a encher-se de nódoas negras para depois "morrer" em Olhão, no José Arcanjo. Não pode ser.
Gostaria desde já de declarar aberta a discussão ao plenário deste Blog acerca da qualidade do sono/ qualidade da almofada. Ando com um torcicolo há dias, acordo a meio da noite zangada com a almofada, coisa que em mim, que durmo como um bisonte ferrado, é rara. Ou seja, é fundamental uma boa almofada. Certo? Certo.
Então porque é que eu nunca consegui ter uma almofada de jeito? hum? é de penas, é sintética, é sumauma, é penas de mistura (pato e ganso)? e depois há os tamanhos, ou eu vou ter de mudar de roupa de cama porque as fronhas são do século passado, época em que as almofadas eram mais ou menos pequenas? e uma almofada custar 80€? podemos ou não argumentar validamente uma almofada custar 80€?
se considerarmos o facto de que dormimos 2.920 horas por ano, dá uma média de 0,02 cêntimos de almofada por hora, o que não me parece mal pagar 0,21€ cêntimos de almofada por noite durante um ano (tendo em conta que uma noite de sono são 8 horas a dormir), mas o número assusta!
São questões eternas e universais. Então, fui ao "Paris em Lisboa" (sempre um bom pretexto para lá ir) e estive literalmente a deitar-me em cima das almofadas, com o balcão a fazer de cama. Trouxe uma almofada de 30€. Dar-vos-ei o respectivo feedback depois desta noite.
Mais do que o estado do tempo, o buraco do ozono, ou o busílis da resolução do Campeonato Nacional da Liga Zon Sagres 2011/12, fala-se muito em Felicidade e em ser-se Feliz. Coloquei propositadamente em letra grande, querendo dar destaque, como se fosse um nome próprio, como se fosse uma pessoa que se procura em todas as esquinas. Teorias há várias. Eu também tenho uma, mais a ver com o sentido da vida, pois é esse, que quando encontrado e aceite com naturalidade nos dá esse tal estado de tranquilidade a que se chama Felicidade. Muitos eteceteras a seguir a isto.
Dei por mim pela primeira vez em muito tempo a desejar ter uma linha de consumo ilimitado na zara. As cores, os padrões, as t-shirts, as calças, as saias, os lenços, enfim tudo. Tudo senhores, é tudo lindo de morrer. Já só lá volto a entrar em Novembro, prontos!

E a miscelânea é assim.

1 comentário:

Anónimo disse...

Estou completamente em sintonia contigo no que respeita o teu último paragrafo. Fui lá ontem e, com excepção dos 1 ou 2 padrões com passarinhos e elefantes, a minha vontade foi de fazer como quando vamos comprar miniaturas para o lanche, e nos aproximamos do balcão, depois de ter muito babar para o vidro dos bolinhos pequeninos, e "É para levar 2 de cada, por favor..."