27.7.12

Born Free

Então é assim.
Eu já aqui falei da história do Christian, o leão que foi comprado no Harrod's em Londres e que depois teve de ir para o Quénia, onde viveu numa reserva de Leões do George Adamson.
Depois também já todos devem ter ouvido falar da história: "Uma Leoa chamada Elsa" (Born Free), o mega hit cinéfilo dos anos 60 acerca da adopção de uma cria fêmea, a Elsa, pela Joy e George Adamson.
Ora, a Joy era casada com o George e foram eles os dois que adoptaram a Elsa e depois dessa experiência resolveram montar uma Reserva no Quénia para a protecção dos leões.
Já estou a acabar o da direita, que é a história da Elsa e da vida da Joy no Quénia com ela durante 6 anos (411 págs!). Depois passo para o da esquerda, que é a Biografia do marido, responsável pela vigilância (Senior Game Warden) de uma Província gigante no Norte do  Quénia. O seu trabalho incluia o controlo da caça nessa zona, o combate à caça furtiva e a protecção das tribos e populações dos animais selvagens.
Ambos morreram no mato, no meio da selva, sempre rodeados de bichos e de animais selvagens.
E foram os primeiros a descobrir que os leões são o animal da selva que mais facilmente se adapta a viver com os humanos. 
A Elsa teve 3 crias e quando elas fizeram um ano, ela morreu com uma infecção grave.
É escusado dizer que enquanto lia (já sabendo o fim da história) chorava baba e ranho, porque no fundo morria o personagem principal da história. Morria uma entidade muito superior à simples ideia de um animal selvagem.
Uma leoa maravilhosa, dócil e inteligente, que mostrou aos humanos as suas extraordinárias capacidades racionais.
É apenas o Homem querer, que consegue assistir a esse milagre.
Haja mais Joys e Georges no mundo... (que eu acho não haver)

1 comentário:

Anónimo disse...

As suas extraordinárias capacidades racionais.Vi outro dia , na internett ,uma orca a brincar com o tratador e a dada altura a orca deitou-lhe a boca a um pé , e de seguida e a brincar levava-o até ao fundo do aquário e andava a passear com ele no fundo do aquário , ele sem nada para respirar.Isto durou mais de 15 minutos.A dada altura a orca vem ao de cima, como fez várias vezes, e deixo-o.Não houve uma pinga de sangue ,o tratador estava completamente exausto.