19.7.13

Bateria a (caminho dos) 100%

 
Porque o tempo está tudo menos fácil, fui levada a fazer o seguinte exercício: tem de haver qualquer coisa que faças e que te dê toda, ou parte, da energia que sentes estar a perder.
Pensei, pensei e na verdade, eu tenho andado nas lonas - sugada de energia e de força, com a bateria a chegar ao fim.
 
Há um lugar, e esse eu sabia ser certo: o Guincho. A praia do Guincho.
Vá em que altura for, esteja com quem estiver, é lá que o meu esqueleto gosta de sentir a forma que tem, seja pela areia que pisa, seja pelas ondas que nada.
 
Há um sujeito, o meu cão. O Flash. Ele é um bom bicho, bom amigo e um excelente companheiro para uma caminhada pela praia.
 
Juntei as duas coisas e vemos um cão a sprintar a 200 km/hora (2ªfoto) e uma praia inteira por caminhar (1ªfoto).
 
O resultado obtido foi perfeito.
Percebi que precisava de mais, principalmente precisava de transpirar, libertar toxinas.
E por isso, ao 2ºdia, fui correr (como já escrevi ontem).
Não posso/devo juntar as três coisas, pois o Flash não tem GPS e eu perdia o meu bicho pelas dunas, mas o certo é que ao 3º dia fiquei "curada".
 
Deixo o conselho para que cada um descubra o lugar e a acção que vos faça recarregar as baterias.
Limar as unhas, fazer compotas, correr maratonas, apanhar caracóis...
é tudo legítimo!
Deixem ficar aqui as vossas sugestões/ ideias de bons "carregadores".


1 comentário:

Anónimo disse...

Sair de Lisboa, respirar os "ares do campo", sentir a terra. Ir ao mato, bosque, etc. Se a última estrada não for alcatroada é bom sinal.
Ajuda-me a a pôr os assuntos em perspectiva. Por exemplo, o sudoeste vicentino é perto e reúne estas características. Se tiver q ser ainda mais perto, penedo, adraga.