22.1.12

Das coisinhas da vida #4


Dos amigos.
Se há coisa complicada e elaborada de se compreender é a cena da amizade.
A minha primeira amiga foi a Verónica na 1ªClasse e apesar de não a ver há anos, continuamos em contacto pelo Facebook. Tenho amigos que são os "amigos do Facebook", tenho outros que nem sequer guardo o número de telefone, mas penso neles.
Diz-se que há medida que vamos ficando mais velhos a amizade vai refinando e cada vez vamos sendo mais "exigentes" com os amigos.
Esta noite, sonhei (já vos disse que sonho bastante, não é? e lá acordei com o meu Príncipe às cotoveladas: Rita! Estás a sonhar! Vira-te para o lado!). Dizia eu, esta noite sonhei que uma amiga morria num acidente de carro. Foi horrível e senti-me muito triste durante o sonho.
Nunca percebi muito bem o que significa sonhar com a morte de alguém, mas fez-me alguma confusão por ser com uma amiga, sendo que já sonhei com outras pessoas próximas.
(Já agora, alguém sabe de um bom livro de interpretação de sonhos? é que com a quantidade de sonhos que eu tenho e me lembro no dia seguinte, abatia o preço do livro numa semana!)
Hoje de manhã, pensei que não estava com ela há algum tempo e perguntei-me como estaria. Também não me pareceu bem ligar a dizer: "Olá, tudo bem? Olha, sonhei contigo e tinhas morrido num acidente de carro!"
Mas sei que se estivermos juntas, sentimos imediatamente que todo esse tempo que passou se diluí e a conversa surge naturalmente como se houvesse uma espécie de código que prevalece e não se quebra.
Tenho a ideia que a amizade tem a ver com essa ligação estratosférica que nunca se quebra, como um feitiço que fica para sempre.
Estabelecer essa ligação tem muito mais de inteligência do que naturalidade. Há que se ser inteligente para ser e ter bons amigos. Manter uma amizade por tantos anos, é tal e qual como um casamento, sendo que em primeiro lugar eu sou a melhor amiga do meu marido e o amor vai crescendo dessa ligação (é por isso que eu lhe digo que há medida que o tempo passa eu gosto sempre mais dele, nunca menos).
Há pouco tempo li algures que um amigo é aquele que nos apoia e nos diz que sim, mesmo que estejamos a fazer a coisa menos certa. E eu já tive a prova viva disso mesmo, quando decidimos ir viver para Moçambique numa tentativa talvez "pouco sã" de mudar de vida!
Tenho um imenso orgulho nos meus amigos, nas amizades que sabiamente cultivei e respeitei, cada uma com a sua maneira de ser com as suas coisas, os seus mundos.
A vida ensina que talvez nem tudo seja perfeito, mas ela dá "peças" fundamentais a saber utilizar, sendo uma delas os amigos.
Há dias menos bons, há dias em que estamos tristes como se uma nuvem negra entrasse no nosso espírito. Estamos sozinhos, por alguma razão, e por essa razão tomamos consciência dessa nuvem, desse vazio. Sentimo-nos pouco, curtos, que talvez a nossa existência seja tão insignificante quanto um abre latas. (Eu disse que havias dias menos bons.)
É bom saber que podemos mandar um sinal e receber uma resposta do outro lado. Um amigo que limpa as nuvens, puxa o lustre aos vidros da alma e nos devolve o sol. Por que há dias em que os limpa-chaminés somos nós e são eles que nos mandam os sinais de fumo.
Claro que a familía também é importante, mas tanta há gente que é da nossa família e não nos diz absolutamente nada. Foi a naturalidade que nos uniu, não a inteligência. Para mim, são raros os laços de família em que utilizei a minha astuta lente de observação e soube "encontrar" os "amigos". 
E depois, nos casos em que aconteceu, criamos uma belíssima relação em que nos tratamos como irmãos.
Há que sobretudo respeitar o outro, o amigo, aquele com quem estabelecemos o tal código invisível, resultando numa saudável relação. Quando sentimos, além do respeito, admiração e orgulho pela ligação estabelecida, está aí um Amigo daqueles a sério. Sem ser do facebook.
Tenho poucachinhos amigos destes, mas tenho para mim que devem ser os melhores do mundo!

9 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem.

macaca grava-por-cima disse...

Pensa lá bem quem poderá ser esta macaquita... olha lá para alguns posts, comments e links, onde há umas referências a um certo tio em Pemba e a umas tertúlias africanas... E, vá, tb sou uma "amiga" do FB ;-)

Anónimo disse...

Linda esta análise profunda sobre a amizade e mais uma vez parabéns por saberes tirar todo o sumo da vida!

Anónimo disse...

Quanto ao,livro sobre sonhos vou tentar saber!!!

Anónimo disse...

"E depois, nos casos em que aconteceu, criamos uma belíssima relação em que nos tratamos como irmãos." - C´est moi?

Rita disse...

acho que já vejo uma luz ao fundo, sim!! que giro descobrir novas facetas de cada um! Obrigada mais uma vez e beijos

macaca grava-por-cima disse...

é mt giro sim! beijos ;-)

Rita disse...

espero bem que sim : )

Anónimo disse...

Oui! c´est moi meme !!