17.10.11

Gostos estranhos!

Não sou daquelas mulheres que discutem carros e opinam acerca dos modelos, que sabem os Tdi, e os 1.400 e essas coisas. Nunca tive um acidente, acho que sou uma condutora razoável, mas também não sou daquelas todas racing que puxam pela mudança e têm o pedal do acelerador sempre nervoso.
A minha relação com os carros, vem, em primeiro lugar, do seu carácter hiper-utilitário e ultrapassando essa condição, vem depois da diversão de condução que alguns modelos me dão.
Assim, quando me ponho ao volante de uma carrinha, muito semelhante às que estão a passar em frente na fotografia, fico toda contente!
Se noutra encarnação fui uma "Dona Antónia", a subir e descer os socalcos do Douro, a controlar a vindima e a observar da varanda de minha casa, o Rio que corre lá em baixo; num outro momento, devo ter sido condutora de camiões TIR, carrinhas de carga, forgões, camionetas e afins. Pois vos digo que adorava conduzir uma coisas dessas!! (e um tractor também!)
No Paris-Dakar há aquela prova dos camiões, não há? Pois era isso que eu gostava de conduzir. Um panzer das areias!
Já as motas, por exemplo, não acho graça nenhuma, e até tenho algum medo.
Sei lá eu, porque me deu para achar graça a isto.
Por isso, quando no outro dia foi preciso ir alugar uma carrinha para fazer umas mudanças, o meu Príncipe já sabia que tinha de me deixar dar uma voltinha. Aliás, eu é que fui buscá-la e entregá-la ao stand. Gosto imenso de conduzir aquilo, não me faz confusão nenhuma as manobras, sinto-me como peixe na água!
Uma maravilha!

1 comentário:

Anónimo disse...

Pois.O assunto é bem interessante.Mas agora tenho de ir que se faz tarde.Volto logo á tarde.