16.12.11

a Lua e a Estrela


Forço bastante a utilização de acessórios/ bijuteria, como pulseiras, brincos, colares, etc. Mas, de uma forma quase sistemática, acabo sempre por usar a mesma coisa: relógio, os mesmos brincos, um fio ao pescoço que não tiro, duas pulseiras, e a minha aliança de casamento com uma aliança da minha Avó.
Depois, quando vejo aquelas lojas e marcas que se debatem de forma justa e ultra-criativa pelos acessórios mais cool e mais fashion, ainda me obrigo mais a pensar que devia utilizar estas coisas, que até parece mal, nunca ando com nada.
Consigo manter um dia ou dois e depois volta tudo ao normal.
Finalmente concluo que o meu problema é ser "fina". Do que eu gosto mesmo é do verdadeiro, daquele que se trinca e não ficam lá os dentes marcados, por muito 'canino que ele seja.
Como estas minhas duas pulseiras, que não as tiro por um segundo: uma pelos 10 anos de casamento, outra pelos 34 feitos em Agosto!
A M., minha sobrinha com 2 anos e picos, diz-me quando mexe no meu pulso: "é a Lua e é a est'ela...".
E eu que olho todos os dias para elas e nunca me tinha lembrado disso!

2 comentários:

Claudia Paiva disse...

Querida Rita,
Como eu te percebo! Eu sempre me esforcei por fazer parte daquele grupo que compra a bijoux da moda... que tem em casa caixas e caixas de bugigangas... mas nunca fui bem sucedida!As amigas nos aniversários ainda foram tentando oferecer umas pecinhas... mas desistiram...
Há cerca de 10 anos que uso ( quase todos os dias) os mesmos brincos ( acho que só os tirei para uns casamentos:)) a aliança de casada e um anel com uns golfinhos....Todos têm um significado especial ( brincos eram da minha avó, a aliança do meu casamento e o anel que comprei com o meu primeiro salário).
Acho que podemos tirar uma conclusão:
Devemos guardar, mostrar ( e demonstrar) o que para nós é valioso!
Bjs

bijus disse...

Olá adorei as suas pulseiras, pode-me dizer onde comprou???? Fiquei fascinada! Obrigada e beijinhos